Testemunho da Consagrada Graziella Garcia

Musical Maria do povo meu em Bocaiúva
21 de janeiro de 2018
JOVEM, NÃO TEMAS!
25 de março de 2018

Testemunho da Consagrada Graziella Garcia

Entre os dias 05 e 21 de fevereiro, a Comunidade Filhos de Maria  (@comfilhosdemaria ) participou da missão Duc in Altum da Comunidade Aliança de Misericórdia (SP) percorrendo algumas cidades da Colômbia e Amazônia anunciando e levando a Boa Nova às comunidades ribeirinhas daquela região.

Graziella Garcia (@graziella.garcia), consagrada na Comunidade Filhos de Maria, e Ludmilla Santana (@ludmillasantanacfm), discípula de 2º ano, passaram por diversas localidades da região realizando visitas pastorais, encontros para jovens, pregações e participando do dia a dia de comunidades ribeirinhas. Abaixo, o belo testemunho de Graziela sobre sua experiência nesta missão:

Irmãos,

Queria partilhar um pouco com vocês a alegria de quem foi tão agraciada por Deus com um belo presente – poder viver mais uma missão e ser carisma Filhos de Maria na Amazônia e na Colômbia.

Nesses quase 20 dias em missão, pude experimentar de uma abertura a tocar em diversas realidades, me encantar com a diversidade natural e cultural; provar de tudo, não me privar das coisas… Viver com intensidade, adentrar nos costumes, estar com! Ser um com o outro! Acredito que os irmãos que viveram as missões em Bagre tenham tido experiências parecidas, nesse sentido. Eu, desde aquela época, já sonhava em também experimentar tudo isso, e Deus é tão bom comigo, que como diz minha madrinha Santa Teresinha: “Ele me fez desejar tudo aquilo que queria me dar”.

Na primeira parte da missão, em Leticia – Colômbia, Nosso Senhor já começou a realizar o Éfata (Mc 7, 34) em mim. Meus olhos se abriram para enxergar as singularidades; meus ouvidos estavam atentos e eu podia ouvir Deus me conduzindo; e minha boca se abriu para anunciar sem medo o Evangelho, mesmo em um novo idioma, pude testemunhar e proclamar o quanto vale a pena ser de Deus.

Ouvindo as pregações do padre Enrico, fundador da Aliança de Misericórdia, a palavra era como fogo que abrasava meu coração e fazia novamente arder em desejo de levar Cristo até os confins do mundo e de lutar mais pela conversão da juventude. Ele me recordava a todo o momento de nossa mãe fundadora! Acredito que os anseios dos corações de fundadores são parecidos!

Éfata! Foi essa a ordem de amor de Deus para comigo nessa missão!

Na segunda parte – nas comunidades ribeirinhas na Amazônia, o Senhor me levou para dentro de sua casa – Nazaré: um cômodo somente, pobre e simples; todos os membros da família  muito juntos; dormindo, comendo, trabalhando… O movimento da vida para garantir a subsistência. O cuidado atento uns pelos outros. A ausência de tantas necessidades. Os ouvidos bem apurados na escuta, pouca fala; um espírito profundo de unidade e comunhão; ausência de competitividade e de individualismo. Tantas características das comunidades indígenas que me levaram de volta à vida simples e humilde da família da Jesus. Eu me senti naquela gruta lá na Terra Santa, que foi a casa de Jesus, Maria e José por 30 anos. E depois de ter feito essa reflexão eu me dei conta de que a comunidade que ficamos por 3 dias se chamava Nazaré! Acreditem! Pura providência de Deus! E que para mim foi mesmo uma confirmação a essa experiência pessoal que eu estava tendo ali.

E mesmo sem recursos, sem nem mesmo o idioma, pois lá se falava Ticuna (e esse idioma eu realmente não sabia mesmo). O amor que transborda de nosso carisma pôde alcançar a tantos corações.

Meu coração está cheio de gratidão a Deus! Gratidão a Érika Vilela, que nos presenteou com esta oportunidade de iniciar com uma missão a celebração dos nossos 20 anos! Gratidão ao Carisma e a vocês, meus irmãos, que me fazem acreditar que eu posso levar ao mundo o que faz da minha vida algo que realmente vale a pena ser!

Gostaria de terminar com uma canção que nesse momento tem resumido toda a minha vivência missionária, não somente com relação a esta missão de agora, mas diante de tudo que já vivi, de todos os lugares que Deus me levou a conhecer, todos os tipos de missão que já estive, de tudo que experimentei, e de tudo que ainda almejo viver como consagrada e missionária, o que posso dizer é que:

“Tudo que eu vivi / Todos os amores / Terras que pisei, amigos que ganhei / Não, nada é melhor/ Não, nada me falta eu encontrei meu Cristo / Tudo o que eu vivi / Todos os castelos / Tudo que alcancei, tudo que eu nem sei / Nada é melhor / Não quero mais nada eu encontrei o meu Jesus!”

Se você sentiu seu coração se abrasar de desejo por tornar Jesus amado e proclamar ao mundo essa alegria de pertencer ao Senhor, entre em contato com nossa assessoria vocacional. Venha ser Filhos de Maria!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *